Diariamente lidamos e até dependemos de produtos desenvolvidos por meio de descobertas e experimentações. À medida que nossa compreensão das propriedades químicas das substâncias se desenvolve, novos produtos benéficos continuam a surgir. Muitos dos itens com os quais confiamos são feitos de elastômeros. Mas o que são elastômeros?

Os pneus que permitem que seu carro trafegue com aderência e estabilidade, os recipientes de borracha em nossos armários e inúmeros outros itens com estrutura molecular flexível são todos elastômeros. O que fez com que esses objetos possam ser flexionados e posteriormente retornar à sua forma original? Por que alguns objetos são mais rígidos do que outros? O que une esses materiais? Vamos aproveitar esta oportunidade para aprender sobre elastômeros.

O que são os elastômeros por definição?

Na química, as substâncias compostas por longas cadeias de moléculas orgânicas são chamadas de polímeros. Os polímeros que apresentam características viscosas e elásticas são chamados de elastômeros. Uma substância viscosa é uma substância que tem uma consistência densa, espessa e/ou pegajosa.

O nível de viscosidade de um líquido determina a velocidade com que ele flui. Se você já despejou óleo em um recipiente, sabe que a velocidade da fluidez do óleo é muito mais lenta do que a água, por exemplo e isso ocorre porque o óleo é mais pegajoso.

O termo elasticidade se refere à tendência de um objeto retornar à sua forma original após ser esticado ou comprimido. Se você já esticou um elástico e o mesmo se restaurou a sua forma original após o alongamento, o fenômeno experimentado foi o da elasticidade.

Ainda para entendermos melhor o que são os elastômeros, precisamos compreender que as ligações que mantêm quimicamente muitos compostos juntos são muito fortes em relação ao seu tamanho. Essas forças de ligação determinam a flexibilidade em relação a capacidade do composto de ser manipulado de várias maneiras. A força intermolecular do elastômero é fraca, ou seja, a atração e repulsão entre as moléculas e outras partículas adjacentes é facilmente transformada.

Como os elastômeros não são unidos por forças de atração em seu núcleo, como é no caso dos objetos magnéticos ou magnetizáveis (imãs e metais), eles podem ser separados e ter uma tensão de ruptura mais alta do que muitos outros compostos. Os compostos inelásticos são feitos de materiais que falham ou se desintegram no nível molecular quando submetidos a tensões. Em vista dessa característica, é significativo que os elastômeros geralmente sejam feitos de elementos como carbono, hidrogênio, silício e oxigênio, que geralmente mantêm as suas propriedades em muitas condições.

O que são elastômeros termofixos e termoplásticos?

Entendendo o que são os elastômeros de forma teórica, vamos passar para o conceito prático. Como consenso geral, existem basicamente dois tipos de elastômeros: termofixos e termoplásticos.

Os elastômeros termofixos são processados por meio de vulcanização e, por isso, não derretem quando aquecidos, retendo sua estrutura quando expostos a diversas condições ambientais diferentes. Essa propriedade os torna muito úteis em indústrias onde o calor e a pressão são aplicados em vários níveis.

Os elastômeros termoplásticos podem ser fundidos e reformados em diferentes formas e configurações de acordo com o seu uso. Os elastômeros termoplásticos podem ser derretidos, resfriados e moldados em diferentes formas, várias vezes e mesmo assim manter suas características originais. Essa propriedade também torna os elastômeros termoplásticos em produtos recicláveis, característica importante na sustentabilidade do planeta.

As diversas aplicações industriais dos elastômeros termoplásticos

A indústria utiliza diferentes tipos de elastômeros termoplásticos para diferentes fins e os dividem entre os seguintes grupos poliméricos:

TPE (Elastômeros Termoplásticos):

  • Características: Na fase elastomérica, ele é composto por borracha SEBS (Estireno-Etileno-Butileno-Estireno).
  • Aplicações: Por ser um material versátil, o TPE é comumente utilizado em diversos segmentos, desde a produção de cabos de escovas de dentes à componentes eletrônicos e ferramentas manuais.

TPV (Elastômero Termoplástico Vulcanizado):

  • Características: Na fase elastomérica, ele sofre um processo de reticulação (ligações químicas entre moléculas).
  • Aplicações: É principalmente encontrado no segmento automobilístico, em dutos de ar, caixas de direção, perfis para vidros, botões, tapetes, alavancas de câmbio e freio de mão, maçanetas etc.

TPU (Elastômero Termoplástico de Poliuretano):

  • Características: Materiais constituídos de sequências alternadas de poliésteres ou poliéteres, amorfos e flexíveis, com segmentos rígidos com alta densidade de grupos uretanos, produzidos por reação de um diisocianato com um glicol de cadeia curta.
  • Aplicações: Com a excelente resistência à abrasão dos uretanos, os TPUs são ideais para amortecedores, engrenagens, cilindros, jaquetas de cabos, revestimentos, peças para máquinas têxteis. Diversos rodízios usam o TPU também, como rodas de carrinhos de supermercado, skates e roldanas

TPE-E ou COPE (Copoliéster):

  • Características: São elastômeros termoplásticos à base de copolímeros de poliéster.
  • Aplicações: O material é utilizado nas mais diversas aplicações, desde válvulas de vinho, coifas homocinéticas e dutos de ar a correias, tubos, molas e antenas automobilísticas.

TPO (Poliolefinas):

  • Características: São formados por compostos heterofásicos, baseados em uma fase elastomérica amorfa e uma fase cristalina, ambos de natureza poliolefina.
  • Aplicações: Por suas funcionalidades, o material se destaca em aplicações que demandam resistência como para-lamas, guarnições para janelas co-injetadas com TPE e até mesmo artigos para mergulho como nadadeiras e para esqui (botas de neve).

TR (SBS – Estirênico):

  • Características: Por definição, o TR (SBS) é um copolímero do bloco do estireno-butadieno.
  • Aplicações: O material é amplamente utilizado na indústria calçadista, na produção de brinquedos e sua versatilidade possibilita aplicações até mesmo no segmento agrícola.

Com tantas variações e aplicações diferentes, os elastômeros se tornam cada vez mais indispensáveis em nossas vidas e para a indústria plástica. Todas as variáveis de produtos que descrevemos neste artigo estão disponíveis para distribuição em todo o território nacional. Para solicitar um orçamento, entre em contato com os nossos consultores de negócios especializados e garanta materiais de qualidade para a sua produção.